fbpx

Welcome to Cotia

Uma das coisas que aprendi com minha profissão e claro, com a minha experiência de vida que já beira meio século, foi ouvir mais, observar mais e sempre prestar muita atenção a tudo que está à minha volta. Isso faz parte da estratégia da pauta mas também é uma estratégia de vida.

E por que comecei este texto dizendo, ops, escrevendo isso?

Porque apesar estar usando pouco esse espaço que é meu, que eu criei exatamente para expressar minhas ideias sobretudo acerca do que eu observo e penso sobre a cidade que eu moro, que eu chamo carinhosamente de Sucupira (alguns vão dizer que sarcasticamente), não deixei de observar nem de ouvir nada, ou quase nada.

Confesso que tenho circulado pela cidade menos do que costumo e muito menos do que eu devia. Talvez seja uma das poucas pessoas que ainda acredita que a pandemia não acabou. Sigo usando máscara e não frequentando lojas, restaurantes e ruas cheias de gente que não respeita regras básicas de distanciamento e que mesmo após um ano e meio de pandemia ainda não aprendeu que o nariz vai dentro da máscara ou a usar a máscara.

Mas, impossível não observar por exemplo, o fato de que a cidade de Cotia aplicou mais de 204 mil doses de vacinas em seus moradores, sendo que quase 58 mil estão completamente imunizados. E esse é um número importante. Tão importante como a cidade estar há mais de uma semana sem registrar mortes por conta da covid 19, de acordo com os boletins da Vigilância Epidemiológica.

Ah, e eu já vou receber a minha segunda dose nos próximos dias!

O número de casos vem baixando e menos de 10 pessoas estão internadas na cidade enquanto escrevo esse texto. Claro que há de se lamentar, e muito, as mais de 600 pessoas que já perderam a vida para a doença. E juro que estou torcendo para que a volta às aulas não faça isso mudar e que variante Delta que já circula na capital passe longe daqui para tudo isso acabar logo. Mas isso não depende só da minha torcida, cada um precisa fazer a sua parte.

Uma das coisas que tenho observado na minha Sucupira querida é o despertar para as belezas e maravilhas da cidade. Já rolou vídeo destacando os pontos turísticos como reserva, parques, templos, casarões bandeiristas e na empolgação, até incluíram turismo da cidade vizinha, mas isso é só um “detalhe”.

Ah, até os secretários são importados do Sul do país. E gabaritados, com experiência; trouxeram na mala currículos com histórico de atuação em Gramado e Canela, dois importantes pontos turísticos do Brasil que um dia irei conhecer.

Cotia eu já conheço e já passei por praticamente todos os tradicionais pontos turísticos .

E nesta segunda-feira (16) foi impossível não ler a entrevista exclusiva do secretário adjunto da pasta André Vaccari ao portal Cotia&Cia feita pelo meu coleguinha Rudney Oliveira. “Cotia tem tudo para ser a bola da vez no turismo”, disse ele discorrendo sobre os planos para cidade. “O povo é bárbaro, receptivo, educado. Fico impressionado como ainda não tinham sacudido o turismo com todo potencial que esse município tem”.

(É fato, o povo dessa cidade é bárbaro mesmo. Tá, nem todo mundo é tudo isso não. Mas a gente fala disso outra hora. Não, melhor nem tocar nesse assunto)

Ao longo da entrevista, que você pode ler e assistir AQUI, o secretário adjunto disse ao Rudney que está “sendo criado um material gráfico que será entregue em alguns pontos do município para as pessoas saberem que existe turismo aqui. Vamos colocar outdoor nas ruas, adesivos em 50% da frota de carros da prefeitura, falando do turismo para conscientizar a comunidade”.

Imagino que os secretários, já estejam morando na cidade – ao menos é o que eu espero de um secretário de governo, que more na cidade e não apenas faça turismo (aqui foi sim um trocadilho). Mas talvez pouco mais de 6 meses não tenham sido suficientes para eles entenderem porque ainda não sacudiram o turismo da cidade. Alguns até tentaram outros apenas passaram pela secretaria sem deixar lembranças.

Na minha humilde opinião de moradora da cidade desde meus tempos de criança, um dos entraves para a sacudida do turismo na cidade primeiramente foi a falta de iniciativa e de vontade política dos governos.

E temos que ser justos que nesse governo ao menos estamos vendo essa vontade.

Para não me alongar muito, e falando de minha experiência como turista, impossível sacudir turismo numa cidade sem um transporte coletivo que de fato funcione. E isso por aqui é uma novela que não termina nunca. Dois exemplos apenas: o Templo Zulai, maior templo budista da América Latina é nosso. E me pergunte se tem uma linha de ônibus que passe por lá? Ou estamos pensando em turismo apenas para os que tem carro? E no Sítio do Mandu, como se chega lá de transporte público?

E como é o transporte público de Cotia? Os ônibus são de boa qualidade?

Não tem transporte coletivo público nem mesmo para que os moradores se desloquem de um bairro para o outro sem ter que andar quilômetros a pé e ficar 30, 40, 50 minutos no ponto de ônibus.

E nem falei da outra novela que não tem fim por aqui que se chama Raposo Tavares.

Por fim, vou adorar fazer turismo na minha própria cidade e poder exibi-la para meus amigos distantes. Mas também quero pode exibir o IDEB (índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a Saúde, o transporte, a segurança…

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *